Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009
RESSUSCITÁMOS!

 Uma pequena festa, a de hoje, para celebrarmos esta nova casa, muito mais arejada, de mais fácil consulta - experimenta como fotos e vídeos abrem com mais rapidez!!! - recorrendo a essa outra Grande Festa do passado 6 de Setembro, na Quinta d'Alvarenga!

 

Esperemos que se sintam mais motivados a participar, pela dinâmica recordação daquele inesquecível dia. Ou seja, torná-lo realidade, hoje, todos os dias!

 

Por aqui, como vêem, não desistimos.

Divirtam-se!

 

Apareçam.

O nosso mail continua a ser o mesmo:

 

irmaossol@gmail.com

 

O pesadelo wordpress está passado! Na transposição da casa trouxemos o lixo tal como está!

Continuamos a proceder, ainda, nas próximas horas, a alguns acertos.

Mas, o essencial está sobre a mesa. Quer dizer, humildes, menores, mas cheio de muito Amor, e, como vêem,com alguns sabores da Quinta d' Alvarenga!

Todos para a mesa para partilharmos o pão.Partilharmos  este franciscano coração.

 

Obrigado aos artistas recontratados, Agostinho Vaz e todos os do Ré Maior,e ao Artur Beleza e a essa ....voz maior!

 

antónio colaço

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por animo às 17:09
link do post | comentar | favorito
|

incrível.....
Escrevemos e, Verificar encontradas como, um tudo altera wordpress!!

O que sairá do mesmo agora que estamos a escrever?


publicado por animo às 13:07
link do post | comentar | favorito
|

DE MALAS AVIADAS....
Como podem ver pelo nosso último post, o wordpress está transtornada! Não nos deixa corrigir e textos vêem que não dá!

Pois bem, estamos de malas aviadas a caminho de um outro servidor, sem estes problemas e. .. com muito mais velocidade para abrir imagem e textos!

Aguarda notícias!


publicado por animo às 12:33
link do post | comentar | favorito
|

MATINAS


Basílica da Estrela, pouco há.

Um céu feito de fios, candeeiros e outros mil sinais.

Um Sol rompendo as nuvens Iluminando-os nos ais, mas, Tu, Sempre presente, por muito que te de nós julguemos Fabrica de Campeões, ausente, encerrado nas Catedrais erguidas.

António Colaço

NR

Vês, João Teixeira, é bom saber que esta Cyber Vela, Trémula Apesar de, aqui está, sempre, à nossa espera. O nosso silêncio não perturba o seu silêncio, mas o seu silêncio convida-nos a serenar as Perturbações de que são feitos alguns dos nossos tantos silêncios. Obrigado, irmão Francisco, e só perdoa estas aparentes ausências. Mostra aos irmãos por onde temos andado, um tijolo tijolo Reconstruindo o Teu Telhado!



publicado por animo às 11:58
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 11 de Novembro de 2009
Problemas de edição
A Wordpress anda com problemas de edição.Os textos saem alterados e a correcção torna-se impossível!Se leres este texto com erros, é isso!!

Aguardemos por decisões!

Também a  ânimo já passou para aqui:

http://animo.blogs.sapo.pt

Será que o irmão sol segue o trilho?

 



Abraços!

 



PS - De qualquer forma, a nossa caixa de correio continua tremendamente só.Nenhum comentário. O silêncio é demasiado sublime para que o perturbemos com os nossos estafados comentários! Obrigado, na mesma. ac

 



publicado por animo às 11:56
link do post | comentar | favorito
|

IRMÃO SOL LUGAR DE SANTIDADE


"Durante muito tempo, o enjoo causado por péssimas" Vidas de Santos "fez-nos perder de vista que uma santidade é uma viagem de transformação permanente até encontrar o essencial da vida, Segundo as características de cada pessoa. O Reino de Deus está Dentro de Nós, Se nos tornarmos lugares de escuta do Espírito, No íntimo e na consciência da beleza e agonia do mundo. "

"Este é, aliás, O cume da viagem da ética e da santidade: Porque fazer o bem é bem; Evitar mal é o mal porque, como já dizia S. Tomás de Aquino. Para o justo, não há lei. A sua lei é a bondade, a compaixão. O princípio do recto agir não faz o bem nem recompensa pela evita o mal com o medo do castigo. "

Frei Bento Domingues, In Público, 8 Nov.09

Tenho um desafio em aberto que lancei ao meu querido amigo PeAnselmo Borges para que nos escreva uma mão cheia de palavras sobre "O que é isso da santidade" e a promessa será cumprida em breve segundo me assegurou!

E não é que esta semana, no Público, um dos dois mais consagrados webangelistas do sec XXI, Frei Bento Domingues,  também ele comprometido em enviar-nos uma reflexão animada, acaba de nos deixar estas duas pérolas, como bagos de reluzentes romãs, e que convoco para a  reflexão de quem queira?!

Querer ser santo, afinal, é  querer continuar a  fazer o bem porque é bem. No irmão sol queremos fazer  bem o Bem que o irmão sol pode ajudar também a fazer! Queremos ser, cada vez mais, um "lugar de escuta do Espírito"!

antónio colaço


publicado por animo às 11:43
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHOS DE ANSELMO BORGES E BENTO DOMINGUES


Pe Anselmo Borges

No Diário de Notícias de 7 09 de novembro
As religiões, concretamente como monoteístas, condena (ra) m, nos seus textos, por vezes sob ameaça de morte, a homossexualidade.

Assim, lê-se no Levítico: "Se um homem coabitar sexualmente com um varão, ambos Cometeram um acto abominável; serão os dois punidos com a morte".

Mas, segundo M. Darnault, em religiões Le monde des, o texto que está na base da homofobia cristã é o relato bíblico de Sodoma e Gomorra. Dois homens, enviados de Deus, chegaram uma Sodoma e Ló acolheu-os pela noite, mas a população encolerizou-se: "Ainda não se tinham deitado, quando os homens da cidade rodearam a casa e chamaram Lot:" Onde estão os homens que entraram na tua casa esta noite Trá?-los para fora, a fim de os conhecermos ". Avançaram para arrombar a porta, mas os dois homens feriram-nos de cegueira, mandaram Lot fugir com um senhor e família" o fez cair sobre Sodoma e Gomorra uma chuva de enxofre e de fogo ", que destruiu tudo. Aquele Um fim" de os conhecermos "É um eufemismo para relações homossexuais e proveio de Sodoma sodomia.

E também sobre esta narrativa do "povo de Lot" que se apoia o Alcorão para reprovar esta "acção infame" e "torpe". A suna prescreve a pena de morte, a maior parte das vezes por Lapidação.

O fundamento da estigmatização da homossexualidade canónica e teológica, apoiada por especialistas da teologia moral, como São Tomás de Aquino, encontra-se no desenvolvimento do tema da depravação de práticas consideradas "contra a natureza", como São Paulo já tinha escrito na Carta aos Foi por isso que Deus os entregou um Romanos paixões: "degradantes. Assim como suas mulheres trocaram as relações naturais por outras que são contra a natureza. E o mesmo acontece com os homens: deixando as relações naturais com a mulher, inflamaram-se em Desejos de uns pelos outros ".

O Catecismo da Igreja Católica diz: "Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações Sepulturas, a Tradição sempre Declarou que" os actos de homossexualidade são INTRINSECAMENTE desordenados ». São contrários à lei natural, fecham o acto sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afectiva sexual, Não podem, em caso algum, aprovação Receber. Um número não desprezível de homens e mulheres apresenta tendências homossexuais profundas. Eles não escolhem uma sua condição de homossexuais; essa condição constitui, para uma maior parte deles, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á em relação, a eles, qualquer sinal de discriminação injusta ".

Parece seguir-se o Princípio da Condenação do acto, não das pessoas. Também o Dalai Lama, em 2001, declarou que "a homossexualidade não faz parte uma má conduta sexual que chamamos" depois, RECTIFICANDO: "Só o respeito ea atenção ao outro Deveriam governar a relação do casal, hetero ou homossexual". Na Igreja Anglicana, há debates acesos por causa da ordenação de bispos gays e bênçãos de casais homossexuais.

Entretanto, em 1993, a OMS retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais.

Recentemente, houve um apelo lançado por 66 Países para uma despenalização universal da homossexualidade a que se associou o Vaticano. Ainda bem. E não DEVE haver lugar para discriminação. Julgo também que não há razões para negar uma comunhão a quem tem essa orientação.

O Estado Deveria encontrar uma forma de união com Consequências jurídicas semelhantes às dos casados. Mas, como já escrevi aqui, a questão reside em saber se há-de chamar-se-lhe casamento. O problema mais é do que religioso e as palavras não são indiferentes, pois não pode dar-se o mesmo nome ao que é diferente. Como disse o filósofo ateu Bertrand Russell, "o casamento é algo mais sério do que o prazer de duas pessoas na companhia uma da outra: é uma Instituição que, Através do facto de provirem filhos dela, forma parte da textura íntima da sociedade, e Tem uma Importância que se estende muito para além dos sentimentos pessoais do marido e da mulher ". Assim, o que uma sociedade tem de resolver é se considera o casamento essa Instituição ou uma mera Contratualização de afectos.

_____________________________________

 


Frei Bento Domingues

In Público, 8 de 09 de novembro

COMPANHEIROS DE VIAGEM

 



 







Num mundo pluralista, uma viagem comum é a laicos e religiosos, interpretada de formas diferentes



 






1.Na semana passada, uma liturgia da Igreja Católica foi muito sóbria, apesar do paradoxo que celebrava: Aqueles que estão vivos morreram. Por outro lado vão, como fazer que pessoas aos cemitérios, onde só existem os restos mortais daqueles que amam? Perante essa escuridão que, confiam, Do outro lado do parentes, Abismo e os amigos não estão abandonados. Vão ali, para não se esquecerem deles.


Entre os mortos, nas celebrações religiosas e civis, também há categorias. Nas civis, discute-se quem merece e quem não merece ir para o Panteão Nacional, quem tem direito ou não a uma estátua, a um nome de rua ou de avenida. Pertence aos detentores do poder Decidir como canonizações por méritos políticos, sociais ou culturais. Nos elogios fúnebres, enaltece-se a obra eo exemplo de uma personalidade, vincando, assim, o carácter elitista da Consagração civil. Segundo esses Critérios, para quem não deixar obra de vulto, não há memória que os resgate. No Exército, ainda há lembrança para todos os militares, mediante uma evocação do Soldado Desconhecido. Nos cemitérios, há margem para uma Devoção ea ostentação, segundo as posses de cada um.

As celebrações católicas, com uma festa de Todos os Santos, fazem um Esforço contra o elitismo. Confessam que os canonizados - e os que estão a caminho de o ser - são uma pequeníssima minoria em relação às visões deslumbradas do Apocalipse: "(...) Não façais mal à terra nem ao mar nem às árvores, até que tenhamos marcado na fronte os servos do nosso Deus. E ouvi o número dos que foram marcados: cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel. Depois disto, vi uma multidão imensa, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos , Povos e Línguas "(Ap 7, 2-14). No Esforço contra o elitismo, estas celebrações não vão até ao fim: ainda deixam de fora os classificados sem glória, os Fiéis Defuntos.

2.Perante a morte, como Laicas ou celebrações religiosas são formas de protesto, aparentemente inúteis, contra essa fatalidade. A partir de noções elementares comuns a toda uma espécie humana, e por também Expressas que todas as línguas, bons, maus ou indiferentes são todos companheiros de viagem. Na inclusão ou exclusão guerra ou na, na na paz, fazem parte de uma aventura que mal sabem interpretar e que não é na morte que se pode resolver: é no caminho. As interpretações da vida - Sejam elas científicas, metafísicas, éticas, estéticas, religiosas ou Laicas - não são indiferentes uma viagem da Qualidade. Mas, se não quisermos que valha a vontade do mais forte, será preciso conversar, tomar o outro nosso hóspede ou aceitar uma hospitalidade do outro. Isto significa Reconhecer que não estamos acabados, que não somos perfeitos, por isso estamos a caminho, com o sentido que cada um ou cada grupo descobre para a sua vida. Caminhamos com que vem gente de todo o lado, de todas as culturas, Povos e Línguas. Fora do Diálogo, não há salvação.

3.Deste modo, num mundo pluralista, se resistirmos uma mentalidade de gueto, um abraço comum uma viagem Laicos e religiosos, embora interpretada de formas diferentes. É o que nos indica uma parábola de há dois mil anos, um célebre Parábola do Samaritano (Lucas 10, 29-37, que pode ser Entendida como proposta, como acusação ou como remorso, por qualquer pessoa, de qualquer língua, de qualquer cultura , de qualquer religião. Há uma versão, longe da letra, perto do Espírito, cantada por Mercedes Sosa e Beth Carvalho: "Eu só peço a Deus que a dor não me seja indiferente ...". Basta esta indicação para encontrar, na Internet, esse impulso novo para Olhos Vendados olhando para caminhar sem, como margens.

Os Actos dos Apóstolos resumiram o itinerário da intervenção de Jesus, neste mundo, numa frase muito simples: "Passou, fazendo o bem". Quando S. Mateus tentou interpretar o sentido de toda a história humana, levando-a um tribunal, quem se salva e quem se condena não é por causa de ter cumprido ou violado os preceitos de qualquer cultura ou religião, mas por aquilo que fez ou deixou de fazer Perante a dor dos Desamparados (25, 31SS). Este é, aliás, o cume da viagem da ética e da santidade: fazer o bem porque é bem; Evitar o mal é mal porque, como já dizia S. Tomás de Aquino. Para o justo, não há lei. A sua lei é a bondade, a compaixão. O princípio do recto agir não faz nem o bem pela recompensa evita o mal com o medo do castigo.

Durante muito tempo, o enjoo causado por péssimas "Vidas de Santos" fez-nos perder de vista que a viagem é de uma santidade permanente transformação até encontrar o essencial da vida, segundo as características de cada pessoa. O Reino de Deus está dentro de nós, se nos tornarmos lugares de escuta do Espírito, no íntimo e na consciência da beleza e agonia do mundo.

A festa de Todos os Santos e dos Fiéis Defuntos, Entendida a partir das sugestões deslumbrantes do livro do Apocalipse, é a festa da boa gente de toda uma história humana e daquela que o amor Transformou. Não tenhamos medo de juntar, no mesmo reino de alegria, santos ateus, agnósticos, Místicos E aqueles que nunca souberam distinguir a mão direita da esquerda.




publicado por animo às 11:30
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009
COMUNHÃO INDESTRUTÍVEL
Copia de Nova imagem

 Caríssimo Tó Zé

Aquela tua cartinha, cheia de doçura e candura (que pena não sermos sempre crianças!), associada àqueles deliciosos bolinhos e à doce recordação do coração doce e terno de uma mãe, humedececeram-me os olhos e povoaram-me este dia de Todos os Santos da presença saudosa, tão distante e tão perto ao mesmo tempo, da tua e da minha  Santa Mãe e de todas as Santas Mães, porque todas as verdadeiras Mães, são Santas!
São estes docinhos que nos fazem, tantas vezes, falta na vida, meu caríssimo Tó Zé. Como estes docinhos, nenhuns!... e nada os substitui.

 Obrigado pela tua cartinha. Não sabes como me fez bem e me confortou desta saudade que nos mói, muito mais nos dias em que ela mais se aviva! Obrigado pelos Bolinhos da Meninha! Obrigado, Mãe!

 Agradeço a tua grande amizade e imaginaçao. Não deixes de nos enviar estes teus "docinhos", autênticas preciosidades a alimentar e tornar muito mais saborosa uma comunhão indestrutível, que nos une  todos, porque sincera,fraterna,límpida,pura e profun-damen-te franciscana.

Neste dia de todos os Santos, um Santo abraço para ti e todos os teus.

 



João Teixeira 


vaz2AG  


Jonhy, muito obrigado! Estou sem palavras, vamos é cantar o fado!


 (Nem o Luís Gonçalves diria melhor!!!)


antónio colaço               



publicado por animo às 13:59
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHO DE ANSELMO
anselmoborges_deus

Pe Anselmo Borges

In DN 31Outubro 2009

SERIA INJUSTO NÃO HAVER DEUS

As nossas sociedades científico-técnicas, comandadas pela razão instrumental, pelo progresso, o êxito e o consumo, hedonistas, nas quais a fé se obnubilou, são as primeiras da História a fazer da morte tabu. Este tabu, acompanhado da perda da fé no Além e da eternidade, é essencial para o entendimento do que se passa. Porque já não há eternidade, o tempo não faz texto, ficando reduzido a instantes que se devoram. Como pode então ainda haver valores e futuro num tempo que se dissolve na voragem de instantes?

De qualquer modo, estas nossas sociedades permitem a visita dos mortos dois dias por ano: 1 e 2 de Novembro. Os cemitérios enchem-se e, de forma mais ou menos explícita e funda, num silêncio ao mesmo tempo vazio e opaco, plúmbeo, há o confronto com a ultimidade, aí onde verdadeiramente se é Homem. Afinal, qual é o sentido da existência e de tudo? O que vale verdadeiramente? M. Heidegger chamou a atenção para isso: a diferença entre a existência autêntica e a existência inautêntica dá-se nesse confronto. Se tudo decorre na banalidade rasante e na gritaria oca, a explicação está aqui: no último tabu.

Para onde vão os mortos? Para o Silêncio. O mistério da morte é esse: dizemos que partiram, mas o que abala é não deixarem endereço. Na morte, a evidência é o cadáver. Mas quem se contenta com o cadáver? Por isso, a morte é o impensável que obriga a pensar e, enquanto formos mortais, havemos de perguntar por Deus.

Deus não é "objecto" de ciência, mas uma esperança, sobretudo quando se pensa nas vítimas inocentes. Como escreveu o agnóstico M. Horkheimer, um dos fundadores da Escola Crítica de Frankfurt, "se tivesse de descrever a razão por que Kant se manteve na fé em Deus, não saberia encontrar melhor referência do que aquele passo de Victor Hugo: uma anciã caminha pela rua. Ela cuidou dos filhos e colheu ingratidão; trabalhou e vive na miséria; amou e vive na solidão. E no entanto está longe de qualquer ódio e rancor, e ajuda onde pode... Alguém vê-a caminhar e diz: Ça doit avoir un lendemain!... Porque não foram capazes de pensar que a injustiça que atravessa a História seja definitiva, Voltaire e Kant postularam Deus - não para eles mesmos".

A curto, a médio, a longo prazo, todos foram estando mortos. A curto, a médio, a longo prazo, todos iremos, todos irão estando mortos, e lá, no final, só há uma alternativa.

Claude Lévi-Strauss conclui assim o seu L'homme nu: "Ao homem incumbe viver e lutar, pensar e crer, sobretudo conservar a coragem, sem que nunca o abandone a certeza adversa de que outrora não estava presente e que não estará sempre presente sobre a Terra e que, com o seu desaparecimento inelutável da superfície de um planeta também ele votado à morte, os seus trabalhos, os seus sofrimentos, as suas alegrias, as suas esperanças e as suas obras se tornarão como se não tivessem existido, não havendo já nenhuma consciência para preservar ao menos a lembrança desses movimentos efémeros, excepto, através de alguns traços rapidamente apagados de um mundo de rosto impassível, a constatação anulada de que existiram, isto é, nada".

A Bíblia, no último livro, Apocalipse, conclui assim: "Vi então um novo céu e uma nova terra. E vi descer do céu, de junto de Deus, a cidade santa, a nova Jerusalém. E ouvi uma voz potente que vinha do trono: 'Esta é a morada de Deus entre os homens. Ele habitará com eles; eles serão o seu povo e o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará todas as lágrimas dos seus olhos; e não haverá mais morte, nem luto, nem pranto, nem dor. Porque as primeiras coisas passaram.'"

No meio da perplexidade, fico com Kant: "A balança do entendimento não é completamente imparcial, e um braço da mesma com o dístico 'esperança do futuro' tem uma vantagem mecânica, que faz com que mesmo razões leves, que caem no seu respectivo prato, levantem o outro braço, que contém especulações em si de maior peso. Esta é a única incorrecção que eu não posso eliminar e que eu na realidade não quero abandonar."


publicado por animo às 13:47
link do post | comentar | favorito
|

Visitantes
pesquisar
 
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

IR EM FRENTE MESMO QUE SE...

IDE EM FRENTE . MENSAGEM ...

PARA FÁTIMA E EM FORÇA ....

UMA ESPÉCIE DE ADEUS ATÉ ...

SANTA PÁSCOA PARA TODOS

AS MÚSICAS DA MÚSICA TOCA...

CAPUCHINHOS DE 1968 . CON...

CAPUCHINHOS DE 1968 . CON...

ANTÓNIO SILVA E ARMÉNIO M...

ALMOÇAI EM MINHA MEMÓRIA ...

arquivos

Julho 2017

Setembro 2016

Março 2016

Dezembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Maio 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Visitantes
blogs SAPO
subscrever feeds